Se você não estiver visualizando esta mensagem, clique aqui.

Informativo Eletrônico Nº 07 - NOVEMBRO 2007
 Editorial
Destaques 

O programa dos community colleges será quadruplicado em 2008! A expansão permitirá a 50 estudantes de escolas técnicas e profissionalizantes brasileiras a experiência de atuar em centros universitários dos Estados Unidos. A boa notícia anunciada pela ministra da Educação Margaret Spellings, durante visita ao Brasil, é um dos destaques desta edição. O Seminar Abroad Program no Brasil também foi um sucesso. Durante quatro semanas, professores norte-americanos percorreram várias cidades para conhecer de perto projetos acadêmicos, hábitos e costumes do Brasil.
Trazemos ainda a dica imperdível da exposição fotográfica Impressões Visuais: 50 anos da Comissão Fulbright, montada em São Paulo , uma viagem impressionante pela história do Brasil e dos Estados Unidos.

Informamos sobre os novos brasileiros selecionados para a bolsa de doutorado nos Estados Unidos.

E mais: revelamos os vencedores do concurso de melhor fotografia dentro das comemorações do meio século de atividade.

Para a nossa alegria, a história ‘verde-amarela’ da Comissão Fulbright reafirma a crença no caminho da integração das pessoas e das culturas e do intercâmbio de conhecimento e de idéias. Prosseguir com essa tarefa no Brasil será sempre um agradável desafio.

Boa leitura!
Luiz Valcov Loureiro




50 anos
Fubright comemora meio século com exposição de fotos
A trajetória de sucesso da Comissão Fulbright no Brasil será comemorada com a exposição de fotos Impressões Visuais: 50 anos da Comissão Fulbright no Brasil. Momentos importantes do cotidiano, da política, de cidadania, do meio ambiente, dos esportes e da herança do Brasil e dos Estados Unidos poderão ser vistos até 9 de dezembro, na Galeria Olido, em São Paulo.


Doutorado pleno

Novos bolsistas são selecionados para quatro anos de estudos
Sessenta e nove brasileiros, entre eles, sete suplentes, foram selecionados para a bolsa de doutorado de quatro anos nos Estados Unidos. O benefício é concedido pela Comissão Fulbright em parceira com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior do Ministério da Educação.


Concurso
Bolsista e ex-bolsistas vencem concurso de fotos

O estudante Rafael Teixeira, bolsista da Comissão Fulbright até 2010, os ex-bolsistas, Ronaldo Gomes Alvim, do programa Scholar in Residence (2004-2005) e Sílvio Neto Guerra, do programa Hubert Humprhrey, de 1987 foram, respectivamente, os vencedores do concurso de melhor foto, em comemoração aos 50 anos da Fulbright no Brasil.



Seminário
Professores americanos conhecem cultura brasileira

Durante quatro semanas, 16 professores norte-americanos de áreas das ciências humanas visitaram oito cidades brasileiras com objetivo de aprofundar o conhecimento sobre projetos acadêmicos, hábitos e costumes do Brasil. O Seminar Abroad Program no Brasil, promovido de junho a julho deste ano, teve como tema o Aprendizado e a Terra. O programa é financiado, anualmente, pelo Departamento de Educação dos Estados Unidos e coordenado pela Comissão Fulbright.



América Latina
Diretores discutem ensino superior

O crescimento dos programas de pós-graduação na região, o mercado mundial para educação superior, o fortalecimento das ações  da Comissão Fulbright foram alguns dos temas discutidos pelos representantes das Comissões Fulbright localizados em países da América Latina e do Hemisfério Oeste. O encontro que reúne anualmente diretores executivos foi realizado em agosto pela Fulbright Brasil, em São Paulo.


Doutorado

Brasileiros são selecionados para programa de tecnologia

Os estudantes Guilherme Leite Pimentel, 23 anos, e Renato Purita Paes Leme, 22 anos foram escolhidos para um dos programas mais concorridos da Comissão Fulbright, o International Fulbright Science and Technology Award Outstanding Foreign Students. Indicados pela Fulbright brasileira, eles concorreram com 109 candidatos de 70 países por uma bolsa de estudos de doutorado.



Missão
Estados Unidos expandem ações no Brasil

A ministra da Educação dos EUA, Margaret Spellings, anunciou em Brasília (DF), no dia 23 de agosto, a continuação da expansão significativa do programa-piloto de bolsa de estudos, iniciado no ano passado, que oferece a estudantes brasileiros de escolas técnicas e profissionalizantes a oportunidade de estudar em centros universitários (community colleges) americanos

Tecnólogos
Comissão Fulbright comemora ampliação de programa
O diretor executivo da Fulbright no Brasil, Luiz Loureiro, comemorou o anúncio realizado pela secretária de Educação dos Estados Unidos, Margaret Spellings de ampliação do Programa de Bolsa de Estudos nos EUA para Tecnólogos.

Integração

Fulbright terá papel fundamental na articulação de grupos de pesquisa
Outro assunto destacado pela secretária de Educação, Margaret Spellings, durante sua visita ao Brasil, foi a meta de fortalecer as relações entre universidades americanas e brasileiras em temas de interesse comum. Energia, meio ambiente e saúde foram as áreas citadas por ela como prioritárias.


Fulbright comemora meio século com exposição de fotos

A trajetória de sucesso da Comissão Fulbright no Brasil é comemorada com a exposição de fotos Impressões Visuais: 50 anos da Comissão Fulbright no Brasil. Momentos importantes do cotidiano, da política, de cidadania, do meio ambiente, dos esportes e da herança do Brasil e dos Estados Unidos poderão ser vistos até 9 de dezembro, na Galeria Olido, em São Paulo.

Para o diretor da Comissão Fulbright no Brasil, Luiz Loureiro, o fotojornalismo é um dos recursos mais poderosos de registro histórico da sociedade moderna. “Com essas fotos, muitas delas premiadas, queremos mostrar a cultura e a história dos dois países”, afirma.



 
NOTA

Conselho tem novos integrantes

O Conselho de Administração da Comissão Fulbright está com dois novos integrantes. O professor de física da Universidade Federal do Rio de Janeiro, doutor pela Princeton University Carlos Alberto Aragão Vicente de Carvalho Filho, que substitui o professor Luís Manuel Rabelo Fernandes. Como novo membro norte-americano, assume o doutor em jurisprudência pela Vanderbilt University School of Law, Richard S. Aldrich Jr., do escritório Shearman and Sterling LLP.

 

O catálogo da exposição conta com textos de personalidades. O escritor Moacyr Scliar aborda o tema cotidiano; o escritor norte-americano Timothy Powers escreve sobre política; a escritora Rose Mary Muraro sobre cidadania; o jornalista Marcelo Tas fala de esportes; o Ministro do Superior Tribunal de Justiça Benjamin Hermann trata de meio ambiente e o pesquisador norte-americano, Jerri D´Ávila aborda o tema herança.

Cerca de 200 fotos de autores premiados podem ser vistas na mostra. A curadoria da exposição é de João Kulcsar. O horário de visitação é das 12h às 21h30, de terça a sábado, e das 12h às 19h30, na Galeria Olido (av. São João, 473). No próximo ano, a exposição será levada para o Centro Cultural da Caixa Econômica Federal, em Brasília, com início previsto para 22 de janeiro. A mostra também irá para o Rio de Janeiro, o local e data serão divulgados brevemente.



Novos bolsistas são selecionados para quatro anos de estudos

Sessenta e nove brasileiros, entre eles, sete suplentes, foram selecionados para a bolsa de doutorado de quatro anos nos Estados Unidos. O benefício é concedido pela Comissão Fulbright em parceira com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior do Ministério da Educação.

A aceitação da candidatura por parte da instituição norte-americana é a última etapa do processo de seleção e o resultado deve sair até março de 2008. Os selecionados concorrem com candidatos de outros países. São avaliados o currículo, a qualidade do projeto de pesquisa, a proficiência em inglês e a pontuação obtida em testes específicos.

Os beneficiados receberão uma bolsa de estudos no valor de R$ 3.300,00, passagem aérea, auxílio instalação, seguro-saúde e o pagamento das taxas escolares. As aulas começam no segundo semestre de 2008. Para outras informações sobre esse programa acesse aqui.



Bolsistas e ex-bolsistas vencem concurso de fotos

O estudante Rafael Teixeira, bolsista da Comissão Fulbright até 2010, os ex-bolsistas, Ronaldo Gomes Alvim, do programa Scholar in Residence (2004-2005) e Sílvio Neto Guerra, do programa Hubert Humprhrey, de 1987 foram, respectivamente, os vencedores do concurso de melhor foto, em comemoração aos 50 anos da Fulbright no Brasil.

O primeiro lugar recebeu um prêmio no valor de US$ 500,00 (ou equivalente em reais), o segundo US$ 300,00 e o terceiro US$ 200,00.

As fotos foram avaliadas por um fotógrafo e representantes da Comissão Fulbright e da Embaixada dos Estados Unidos. Veja aqui as fotos vencedoras.



Professores americanos conhecem cultura brasileira

Durante quatro semanas, 16 professores norte-americanos de áreas das ciências humanas visitaram oito cidades brasileiras com objetivo de aprofundar o conhecimento sobre projetos acadêmicos, hábitos e costumes do Brasil. O Seminar Abroad Program no Brasil, promovido de junho a julho deste ano, teve como tema o Aprendizado e a Terra . O programa é financiado, anualmente, pelo Departamento de Educação dos Estados Unidos e coordenado pela Comissão Fulbright.

O grupo desembarcou em São Paulo e seguiu para o Rio de Janeiro, passando por Salvador, Brasília, Pantanal, Manaus, Belém, Recife e Fernando de Noronha.

“O objetivo dessa iniciativa é mudar a percepção dos professores americanos sobre o Brasil. Esperamos que eles transmitam novas informações sobre o país e apresentem uma imagem mais real do cotidiano e da riqueza gerada aqui, pois muitos dão aulas para filhos de brasileiros nos Estados Unidos”, avalia o diretor da Comissão Fulbrigth, Luiz Loureiro.

A professora da University of Arkansas at Little Rock, Laura Amrhein, confirma que o objetivo foi alcançado. Para ela, a partir dessa experiência seus conhecimentos sobre o Brasil aumentaram “substancialmente”. “A Fulbright Brasil forneceu uma mistura perfeita de experiências urbanas, rurais e ambientais” , diz. Doutora em história, Laura viu que o Brasil possui uma arquitetura importante, reservas ecológicas e meio ambiente muito ricos. “Tivemos experiências pessoais inestimáveis com a música do candomblé, o ensino da língua inglesa em Salvador, a visita ao Congresso em Brasília, as madeiras preciosas e o Burle Marx”, afirma.

Os 16 bolsistas tiveram uma reunião com a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados sobre os temas e as políticas públicas da área. O grupo também participou de atividades acadêmicas, encontros com pesquisadores e professores brasileiros, palestras, visitas a museus, universidades, escolas e organizações não-governamentais.



Diretores discutem ensino superior

O crescimento dos programas de pós-graduação na região, o mercado mundial para educação superior, o fortalecimento das ações  da Comissão Fulbright foram alguns dos temas discutidos pelos representantes das Comissões Fulbright localizados em países da América Latina e do Hemisfério Oeste. O encontro que reúne anualmente diretores executivos foi realizado em agosto pela Fulbright Brasil, em São Paulo.  

Para o diretor executivo da Comissão Fulbright brasileira, Luiz Loureiro, a diversidade, a forma de acesso ao aperfeiçoamento educacional e inclusão são itens importantes que devem ser pautados e considerados no trabalho desenvolvido pelas comissões.

Palestraram Bruce Johnstone, professor da State University of New York at Buffalo, Judith Eaton, presidente do Conselho de Ensino Superior e Acreditação da Comunidade Acadêmica norte-americana e a brasileira Elizabeth Balbachevsky, bolsista do Programa New Century Scholar da Fulbright. Eles apresentaram a evolução do ensino superior no mundo, demonstrando as novas tendências. Para Johnstone, a Fulbright tem desempenhado papel importante para a capacitação de  professores e pesquisadores. Já Judith descreveu o processo de acreditação e os desafios de universidades norte-americanas que se instalam no exterior, além do crescimento da mobilidade de estudantes.

A pesquisadora Elizabeth falou sobre as pressões dos sistemas de ensino superior públicos e privados na América Latina e a importância do intercâmbio para maximizar os resultados da investigação científica nesses países.

Participaram do encontro Norma Gonzalez, da Argentina; Michael Hawes, do Canadá; Denise St. Jean, do Chile; Ann Mason, da Colômbia; Susana Cabeza de Vaca, do Equador; Arturo Borja, do México; Henry Harman, do Peru; Mercedes Jimenez de Arechaga, do Uruguai. As mensagens de boas-vindas foram feitas pelo diretor de Programas da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC), Emídio Cantídio, pelo Brasil, e pelo secretário-adjunto assistente de Estado, Thomas Farrell, como representante dos Estados Unidos.

 

Brasileiros são selecionados para programa de tecnologia

Os estudantes Guilherme Leite Pimentel, 23 anos, e Renato Purita Paes Leme, 22 anos foram escolhidos para um dos programas mais concorridos da Comissão Fulbright, o International Fulbright Science and Technology Award Outstanding Foreign Students. Indicados pela Fulbright brasileira, eles concorreram com 109 candidatos de 70 países por uma bolsa de estudos de doutorado.

Foram selecionados 40 estudantes de todo o mundo. De acordo com a coordenadora de Programa da Fulbright, Rejânia Araújo, os candidatos passaram por um processo rigoroso de análise. “Conceituados professores norte-americanos fizeram a avaliação e conseguimos aprovar dois candidatos isso é muito significativo para nós”, afirma.


Guilherme Leite Pimentel

Formado em engenharia eletrônica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), de São José dos Campos, em 2006, e mestre em física pela mesma instituição, em 2007 , Guilherme Leite Pimentel faz suas pesquisas em física e engenharia, mais especificamente em um projeto de estudos de detector de ondas gravitacionais. Mas nos Estados Unidos irá estudar a teoria das cordas. “Gosto muito de física teórica e o fato de a teoria das cordas ser uma possibilidade de produzir uma descrição unificada da física me atraiu”, disse. Paulista de São José dos Campos, Guilherme diz que a bolsa da Fulbright representa uma oportunidade única de estudar em uma instituição de pesquisa de primeira linha. “Quando voltar ao Brasil quero ajudar nosso país a consolidar grupos de pesquisa em física de qualidade e seguir carreira acadêmica”. Além disso, pretende promover atividades voltadas à educação de pessoas sem acesso ao ensino de qualidade. 


Já Renato Purita Paes Leme fez engenharia de sistemas no Instituto Militar de Engenharia e mestrado em matemática no Instituto de Matemática Pura e Aplicada, ambos no Rio de Janeiro. Segundo ele, o programa irá lhe dará possibilidade de estudar com grandes pesquisadores na área de algorítmos e otimização combinatória, sua área de estudo. “Quero contribuir com o desenvolvimento dessa área de pesquisa e, posteriormente, trazer esse conhecimento para o Brasil. Creio que o doutorado nos EUA vai ser uma ótima experiência, tanto acadêmica como pessoal”, diz. Leme explica que seus estudos fazem interface entre a computação e a matemática. “Meu principal interesse são problemas de otimização com estrutura de grafo ou rede. Vários problemas práticos interessantes surgem nesse contexto como o roteamento e balanceamento de carga em redes de computadores, controle de tráfego em malhas rodoviárias, alocação de recursos”, exemplifica.

Os selecionados irão receber passagem de ida e volta aos Estados Unidos, bolsa de manutenção por 36 meses de valor compatível com a localidade da universidade nos EUA (US$ 1050 a US$ 1.880), pagamento integral de anuidade e taxas escolares, auxílio para compra de livros e equipamentos, auxílio para viagens e participação em seminários e conferências e seguro-saúde.  

Renato Purita Paes Leme

O Programa International Fulbright Science and Technology Award Outstanding Foreign Students abre inscrições anualmente e oferece bolsa de doutorado a jovens graduados nas engenharias, geologia, química, astrofísica, oceanografia, biologia, física, matemática e neurociências. A Comissão Fulbright recebe inscrições para esse Programa de julho a agosto. Outras informações acesse aqui.

Estados Unidos expandem ações no Brasil

A ministra da Educação dos EUA, Margaret Spellings, anunciou em Brasília (DF), no dia 23 de agosto, a continuação da expansão significativa do programa-piloto de bolsa de estudos, iniciado no ano passado, que oferece a estudantes brasileiros de escolas técnicas e profissionalizantes a oportunidade de estudar em centros universitários (community colleges) americanos. O programa dos community colleges é uma iniciativa da subsecretária de Estado para Assuntos Públicos, Karen Hughes, com financiamento do Departamento de Estado dos EUA. No Brasil o programa é administrado pela Comissão Fulbright.

O programa será quadruplicado em 2008 e permitirá a participação de 50 estudantes brasileiros. Os alunos serão selecionados através de Centros Federais de Educação Tecnológica (Cefets), escolas estaduais, sistema S, integrado pelo Senai, Sesi, CNI e IEL, além de instituições privadas. O programa oferece aos alunos uma oportunidade única de seguir seus estudos, melhorar sua proficiência em inglês e ter uma visão maior sobre estudos no exterior nos centros universitários (community colleges) americanos.

O anúncio do programa foi após uma reunião com o ministro da Educação brasileiro, Fernando Haddad,  e uma delegação de reitores de universidades dos Estados Unidos no Ministério da Educação, liderada pela ministra norte-americana e pelo secretário-adjunto assistente de Estado Thomas Farrell.

O objetivo da delegação dos EUA ao realizar encontros com estudantes e líderes na área de educação superior, autoridades do governo, empresários em São Paulo e Brasília foi difundir a qualidade, o dinamismo, a diversidade da educação superior americana, bem como expressar o desejo de expandir parcerias educacionais no hemisfério. A delegação enfatizou a mensagem que os Estados Unidos dão as boas-vindas e valorizam os estudantes internacionais e ressaltaram a importância da educação internacional para estreitar nossos vínculos e preparar a competitividade global dos alunos americanos.

A delegação foi composta pelos reitores das universidades de Maryland, Iowa, Stanford, Nebraska, Miami Dade College, Washington University em St. Louis e os vice-reitores das universidades da Califórnia-Santa Barbara e Louisiana State University. Leia aqui o pronunciamento da Secretária Margaret Spellings na Fundação Getúlio Vargas em São Paulo. (Assessoria de Comunicação da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil)


A ministra da Educação dos EUA, Margaret Spellings durante
uma reunião com o ministro da Educação, Fernando Haddad.
(Foto: Embaixada dos EUA)


Comissão Fulbright comemora ampliação de programa

O diretor executivo da Fulbright no Brasil, Luiz Loureiro, comemorou o anúncio realizado pela secretária de Educação dos Estados Unidos, Margaret Spellings de ampliação do Programa de Bolsa de Estudos nos EUA para Tecnólogos. Segundo ele, o objetivo do programa é fortalecer a formação e a carreira de tecnólogos de alguns países que integram este programa piloto. “Essa é uma experiência marcante para um jovem, pois além de oferecer uma oportunidade de formação diferenciada, permite também vivenciar outra cultura, o que é essencial na era da globalização”.

O processo de seleção já começou. Estudantes de graduação superior tecnológica das áreas de a dministração, gerenciamento de negócios, turismo, hotelaria, comunicação e tecnologia da informação concorrerem a uma bolsa de estudos nos Estados Unidos (EUA).

No ano passado foram oferecidas 12 vagas e neste ano serão 50 vagas para estudar nos Community Colleges norte-americanos . A bolsa tem duração de um ou dois anos e é direcionada para alunos matriculados em cursos técnicos superiores (com duração de dois ou três anos), em instituições reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC). Serão distribuídas seis bolsas para o Norte, 12 para o Nordeste, seis para o Centro-Oeste, 18 para o Sudeste e 12 para o Sul.

Uma das exigências fundamentais é possuir um nível intermediário de proficiência em inglês. Além disso, o aluno precisará concluir entre 25% e 50% do curso até o final deste ano. Outro requisito é ter nacionalidade brasileira e não norte-americana. Ao término do programa, o bolsista deverá, obrigatoriamente, retornar ao Brasil e à instituição de origem para dar prosseguimento ao curso, se possível, com aproveitamento de créditos.

Benefícios – Os selecionados receberão auxílio mensal para cobrir todas as despesas de permanência, moradia e alimentação, o pagamento das taxas escolares no Community College, seguro-saúde e passagem área. Também será oferecido curso de inglês com duração de até dois meses nos EUA, dependendo do nível de conhecimento prévio de inglês do bolsista, antes do início de atividades no Community College. Clique aqui para conhecer mais sobre o programa.

Fulbright terá papel fundamental na articulação de grupos de pesquisa

Outro assunto destacado pela secretária de Educação, Margaret Spellings, durante sua visita ao Brasil, foi a meta de fortalecer as relações entre universidades americanas e brasileiras em temas de interesse comum. Energia, meio ambiente e saúde foram as áreas citadas por ela como prioritárias.

Segundo Margaret Spellings, a Comissão Fulbright terá papel fundamental na organização e articulação para concretizar essa mobilidade entre pesquisadores e estudantes. “É muito importante esse novo modelo de aproximação de grupos de pesquisa dos dois países. É a primeira vez que iremos fazer isso, será uma nova fase da Fulbright brasileira”, afirma Loureiro.


 

Acesse: www.fulbright.org.br

Publicação da Comissão Fulbright no Brasil
Contato (61) 3248-8600 - E-mail: newsletter@fulbright.org.br
Para receber as notícias da Comissão Fulbright, clique aqui.
Para deixar de receber este informativo, clique aqui.